quinta-feira, 20 de outubro de 2011

AMAZONAS - Pontos Turísticos

Teatro Amazonas
Teatro Amazonas 
A história do Teatro Amazonas inicia-se em 1881, quando o deputado A. J. Fernandes Júnior apresentou o projeto para a construção de um teatro em alvenaria, na cidade de Manaus. A proposta foi aprovada pela Assembléia Provincial do Amazonas, e começaram as discussões a respeito da construção do prédio. 
O projeto arquitetônico escolhido foi o de autoria do Gabinete Português de Engenharia e Arquitetura de Lisboa, em 1883. No entanto, em meio às discussões a respeito do local para a edificação e os custos da obra, a pedra fundamental só foi lançada em 1884.
Vista noturna da Ponte metálica Benjamin Constant

Vista noturna da Ponte metálica Benjamin Constant

A ponte Benjamin Constant, também conhecida como Ponte Metálica ou Ponte dos Ingleses, é uma ponte centenária, localizada na Avenida 7 de Setembro, sobre o igarapé do Mestre Chico, no bairro da Cachoeirinha em Manaus.

A ponte metálica Benjamin Constant é um dos marcos históricos da cidade de Manaus, fazendo a ligação do centro da cidade com o bairro da Cachoeirinha.
Construída no período de 1892 a 1895 com peças importadas da Inglaterra, contou com supervisão do engenheiro Frank Hirst Hebblethwait.
A ponte é considerada uma das mais belas do Brasil, sendo uma das mais imponentes de Manaus.
Vista noturna do Reservatório do Mocó
Vista noturna do Reservatório do Mocó

Na década de 70 foi construído um novo reservatório e, até 1984, funcionou ali um restaurante. 
O reservatório encontra-se em pleno funcionamento e é responsável por 60% do abastecimento de água de Manaus.
Amazônia
Amazônia (Uma viagem para o Amazonas… Foto: GC/Blog Vambora!)
Esse é um dos milhões de relatos de encantamentos quando os turistas vão visitar a nossa Amazônia.
"Não sabia que horas eram, o relógio já tinha saído do pulso nos primeiros minutos quando havia chegado no Juma, o hotel que estava hospedada, no meio, literalmente, da selva amazônica. O celular também já havia perdido a sua função já há algum tempo. Desde que saímos de Manaus, ainda dentro da área urbana, o 3G já tinha se despedido. O sinal do telefone ainda sobreviveu a um trecho de barco (passando pelo encontro das águas) e poucos quilômetros rumo à floresta. Depois de quase 160 km de Manaus, o celular todo tecnológico, cheio de apps mil, virou apenas uma simples máquina fotográfica".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. . .