quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Festas Populares de alagoas

Manifestações, cantigas e danças das Alagoas 


Possuímos quatorze folguedos natalinos, dois folguedos de festas religiosas, quatro folguedos carnavalescos, quatro folguedos carnavalescos com estrutura simples, dois torés e três danças, totalizando vinte e nove folguedos e danças alagoanas.
O que diferencia o folguedo da dança "é o sentido de representação, ausente na dança e presente nos folguedos", segundo o folclorista Roberto Câmara Benjamim.


Alagoas é o estado brasileiro que possui a maior diversificação em folguedos.


Guerreiro das Alagoas
Guerreiros das Alagoas
Auto dos Guerreiros ou Guerreiro é um folguedo natalino de caráter dramático profano-religioso, que se comemora entre o período de 24 de dezembro a 06 de janeiro, anunciando de porta em porta a chegada do Messias e homenageando aos três Reis Magos.

Antigamente formado entre 50 e 64 figurantes, hoje varia entre 25 e 35, o Guerreiro é um grupo de dançadores e cantadores, surgido entre 1927 e 1929, pelo sincretismo do reisado alagoano junto ao desaparecido Cabocolinho, e ainda com subsídios temáticos das Cheganças, Pastoris e o Bumba-meu-boi. 

Comportando também o maior número de figurantes e episódios, tendo mais riqueza em seus trajes e na música, muitos estudiosos do Folclore, costumam dizer se tratar de um "Reisado Moderno", podendo ele, o Guerreio substituir ambos, Cabocolinho e Reisado, tornando-se assim, um único folguedo.

Vestimenta: imita igreja, palácios, catedrais, diademas e coroas, guarda-peitos, calção e mantos. 

Episódios: Semelhantes aos do Reisado. Entremeios: O boi, a do índio perí, substitui a guerra, lira sereia, entre outros. 

Outros Folguedos importantes:
Outros Folguedos importantes
Pastoril - É o mais conhecido e difundido folguedo de Alagoas. É uma fragmentação do presépio, sem os textos declamados e sem diálogos, constituídos apenas por jornadas soltas, canções e danças religiosas ou profanas de épocas e estilos variados.

Como os presépios, origina se de autos portugueses antigos, guardando a estrutura dos Noéis de Provença, França.

Bumba meu Boi
Bumba meu Boi
Auto popular de temática pastoril que tem na figura do boi o personagem principal, aparece em todo o Brasil com nomes parecidos. 

Em Alagoas a apresentação do bumba é semelhante a um teatro de revistas, com desfiles de bichos ao som de cantigas entoadas por cantadores do conjunto musical que faz o acompanhamento.

Chegança
Chegança
Auto de temática marítima versando temas vinculados à vida no mar, às dificuldades como tempestade, contrabando, briga entre marujos e lutas entre cristãos e mouros infiéis, seguidores de Maomé. Deriva se das "mouriscadas" peninsulares ou das lutas e danças entre cristãos e mouros da Europa. É de origem ou aculturação européia.

Reisado
Reisado
Auto popular profano religioso, formado por grupos de músicos, cantores e dançadores que vão de porta em porta, no período de 24 de dezembro a 06 de janeiro, anunciar a chegada do messias, homenagear os três reis magos e fazer louvação aos donos das casas onde dançam. 

De origem portuguesa, sua principal característica é a farsa do boi que constitui um dos entremeios, onde ele dança, brinca, é morto e ressuscita.Conheça aqui alguns dos nossos principais folguedos e danças.

2 comentários:

  1. otimo texto muito boa a conclusão.

    ResponderExcluir
  2. muito bom isso mim ajudou muito no trabalho...

    ResponderExcluir

. . .