sábado, 13 de outubro de 2012

Estado do TOCANTINS

Significado das cores na bandeira do estado de Tocantins.


Bandeira de Tocantins
Na bandeira do Tocantins, a faixa azul representa os rios e a amarela, as riquezas do estado. 

O Sol, sobre a faixa branca, significa que ele nasce para todos os cidadãos tocantinenses.


Lei da Bandeira:
Na bandeira do Tocantins, a faixa azul representa os rios e a amarela, as riquezas do estado.

O Sol, sobre a faixa branca, significa que ele nasce para todos os cidadãos tocantinenses.
Lei nº 094/89, de 17 de novembro de 1989.
Institui a BANDEIRA DO ESTADO DO TOCANTINS.
A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO TOCANTINS, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º - Fica instituída a BANDEIRA DO ESTADO DO TOCANTINS, constituída de um desenho simples e despojado de filigranas, de fácil visualização e apreensão, não oferecendo o risco da contraposição, como consta do memorial justificativo e arte (I – Representação Policromática; II – Cores Convencionais Heráldica; III – Construção Modular), em anexo, elaborados por José Luiz Moura Pereira, que passam a fazer parte integrante desta Lei.
Art. 2º - A BANDEIRA DO ESTADO DO TOCANTINS terá a seguinte descrição geométrica:
Retângulo com as proporções de 20 (vinte) módulos de comprimento por 14 (catorze) de largura.
Os vértices superior esquerdo e inferior direito são dois triângulos retângulos, com catetos de 13 (treze) por 9,1 (nove e um décimo) módulos, nas cores azul (blau) e amarelo (ouro), respectivamente.
A barra resultante dessa divisão, em branco, está carregada com um sol estilizado de amarelo (ouro), com 8 (oito) pontas maiores e 16 (dezesseis) pontas menores, com 4 (quatro) e 2,3 (dois e três décimos) módulos de raio.
Art. 3º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
Miracema do Tocantins, 17 de novembro de 1989, 168º da Independência, 101º da República ano 1º do Estado do Tocantins.
SIQUEIRA CAMPOS
Fonte: www.mundodasbandeiras.com.br

LOCALIZAÇÃO: 

Tocantins, estado brasileiro, fica no sudeste da região Norte
Embora pertença formalmente à região Norte, o estado do Tocantins encontra-se na zona de transição geográfica entre o cerrado e a floresta amazônica. Essa característica fica evidente na fauna e flora locais, onde se misturam animais e plantas das duas regiões.

DIVISAS: 

Norte = Maranhão; Sul = Goiás; Leste = Maranhão, Piauí e Bahia; Sul = Goiás; Oeste = Mato Grosso e Pará
ÁREA (km²): 278.420,7.

RELEVO: 

Depressões na maior parte do território, chapadas ao Norte, o espigão do Mestre a Leste, planaltos a Sul e Nordeste, planície do médio Araguaia, com a Ilha do Bananal na região central.

RIOS PRINCIPAIS: 

Tocantins, Araguaia, do Sono, das Balsas, Paranã
A bacia hidrográfica do estado abrange, aproximadamente, dois terços da área da bacia do rio Tocantins e um terço do rio Araguaia, além de várias sub-bacias importantes, fazendo do Tocantins um dos estados mais ricos do Brasil em recursos hídricos. No rio Araguaia encontra-se a ilha do Bananal, a maior ilha fluvial do Brasil.

VEGETAÇÃO: 

Floresta Amazônica a N, cerrado na maior parte do território com pequeno trecho de floresta tropical.

CLIMA: 

Tropical
MUNICÍPIOS (número): 139 (1997)
CIDADES MAIS POPULOSAS: Palmas, Araguaína, Gurupi, Porto Nacional
HORA LOCAL (em relação a Brasília): a mesma
HABITANTE: tocantinense
POPULAÇÃO: 1.157.098 (2000)
DENSIDADE: 4,15 habitantes p/km2
ANALFABETISMO: 17,2% (2000)
MORTALIDADE INFANTIL: 29 óbitos por cada grupo de mil habitantes nascidos vivos (1994)
CAPITAL: Palmas, fundada em: 1/1/1990
HABITANTE DA CAPITAL: palmense

As principais atividades econômicas do estado de Tocantins baseiam-se na produção agrícola, com destaque para a produção de arroz, milho, soja, mandioca e cana-de-açúcar. A criação pecuária também é significativa, com 5,54 milhões de bovinos, 737 mil suínos, 180 mil eqüinos e 30 mil bubalinos. 
Outras atividades significativas são as indústrias de processamento de alimentos, a construção civil, móveis e madeireiras.

O estado possui ainda jazidas de estanho, calcário, dolomita, gipsita e ouro.

Estado foi criado por determinação da Constituição Brasileira de 05 de outubro de 1988, a partir da divisão do Estado de Goiás (parte norte e central). Mas a idéia de se constituir uma unidade autônoma na região data do século 19.
Em 1821, Joaquim Teotônio Segurado chegou a proclamar um governo autônomo, mas o movimento foi reprimido.

Na década de 70, a proposta de formação do novo Estado foi apresentada ao Congresso;chegou a ser aprovada em 1985, mas na ocasião acabou vetada pelo então presidente da República, José Sarney.

O extremo norte de Goiás foi desbravado por missionários católicos chefiados por frei Cristovão de Lisboa, que em 1625 percorreram a área do rio Tocantins, fundando ali uma missão religiosa.

Nos dois séculos que se seguiram, a corrente de migração vinda do norte e nordeste continuou a ocupar parte da região.

Pelo sul, vieram os bandeirantes, chefiados por Bartolomeu Bueno, que percorreram toda a região que hoje corresponde aos estados de Goiás e Tocantins, ao longo do século XVIII. Na região existiam duas culturas diferentes: de um lado, a dos sulistas, originários de São Paulo, e, do outro, os nortistas, de origem nordestina.

As dificuldades de acesso à região sul do estado, por parte dos habitantes do norte, os levaram a estabelecer vínculos comerciais mais fortes com os estados do Maranhão e Pará, sedimentando cada vez mais as diferenças e criando o anseio separatista.

Em setembro de l821, houve um movimento que proclamou em Cavalcante, e posteriormente em Natividade, um governo autônomo da região norte do estado.

Cinqüenta e dois anos depois, foi proposta a criação da província de Boa Vista do Tocantins, projeto não aceito pela maioria dos deputados do Império. No ano de l956, o juiz de direito da comarca de Porto Nacional elaborou e divulgou um "Manifesto à Nação", assinado por numerosos nortenses, deflagrando um movimento nessa comarca, que revigorava a idéia da criação de um novo estado.

Em l972, foi apresentada pelo presidente da Comissão da Amazônia, da Câmara dos Deputados, o Projeto de Redivisão da Amazônia Legal, do qual constava a criação do estado de Tocantins.

A criação do estado do Tocantins foi aprovada em 27 de julho de l988, pela Comissão de Sistematização e pelo Plenário da Assembléia Nacional Constituinte.

Seu primeiro governador, José Wilson Siqueira Campos, tomou posse em 1º de janeiro de l989, na cidade de Miracema do Tocantins, escolhida como capital provisória do novo estado, até que a cidade de Palmas, a atual capital, fosse construída.

Existe uma população estimada de 5.275 índios no estado de Tocantins, distribuídos entre sete grupos, que ocupam área de 2.171.028 hectares.

Desse total, 630.948 hectares já foram demarcados pela Fundação Nacional do Índio - FUNAI.

Cerca de 74% das terras indígenas, que correspondem aproximadamente a l.795.080 hectares, incluem apenas duas áreas que ainda estão em processo de demarcação, embora já estejam ocupadas pelos javaés e botos velhos.

O grupo indígena mais numeroso é o dos krahôs, com população de l.280 habitantes, que ocupa área de 302.533 hectares já demarcada pela FUNAI, nos municípios de Goiatins e Itacajá. Os xerentes representam o segundo grupo em tamanho, com população de l.l35 habitantes.

Ocupam área também já demarcada pela FUNAI, de l67.542 hectares, no município de Tocantínia
Fonte: www.brasilrepublica.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

. . .